Acidente de trabalho sem carteira assinada. Como proceder?

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Acidente de trabalho

Saiba quais são os direitos trabalhistas para quem sofre um acidente de trabalho e não tem registro profissional.

 Acidente de trabalho

Segundo o artigo 19 da Lei 8.213/91, eventos transcorridos “pelo exercício do trabalho a serviço da empresa” e causadores de “lesão corporal ou perturbação funcional” resultantes na perda ou redução da capacidade de trabalho são considerados acidente de trabalho e podem garantir alguns direitos às vítimas. Mas quais são os direitos trabalhistas para quem não tem registro? 

A ocorrência de acidente de trabalho é muito maior do que se imagina. Conforme dados do Observatório Digital de Saúde e Segurança do Trabalho do Ministério Público do Trabalho (MPT), a cada 48 segundos é registrado um caso de acidente. 

Entre os anos de 2012 e 2018, os dados revelam cerca de 4,26 milhões de registros e um número superior à 335 milhões de afastamentos por acidente de trabalho. Os números contabilizam quase 29 bilhões de reais destinados à benefícios acidentários, como: pensão por morte, auxílio doença ou acidente e aposentadoria por invalidez. 

Somente no ano de 2018 foram mais 800 mil acidentes registrados. Estes números alarmantes são facilmente mensurados, uma vez que todo registro mencionado trata-se de casos onde o profissional possui registro na Carteira de Trabalho e Previdência Social (CTPS). 

A grande dúvida é: empregados que não possuem registro tem direito à indenização por acidente de trabalho? Quais os direitos do empregado sem registro? 

Quais são os direitos trabalhistas? 

Há uma série de direitos garantidos ao trabalhador com carteira assinada. É imprescindível conhecê-los para saber quando a empresa não está cumprindo com seu dever:

  1. Jornada de trabalho

É estabelecido um carga horária máxima de 8 horas diárias e 44 horas semanais, conforme Consolidação das Leis do Trabalho. 

2. Hora extra

Quando há a necessidade de aumentar a jornada de trabalho diária, a empresa precisa pagar hora extra com adicional de no mínimo 50%, sendo permitido o máximo de duas horas extras por dia. 

Quando isso acontece em feriados é contabilizado um acréscimo de 100% e se, houver horas extras, soma-se a porcentagem já mencionada.

3. Descanso Semanal Remunerado (DSR)

Este direito garante ao trabalhador um dia de descanso sem desconto em folha. O descanso pode ser em qualquer dia da semana e, obrigatoriamente, pelo menos em um domingo ao mês. 

4. Intervalo intrajornada e interjornada

Entende-se como intrajornada aquele descanso que ocorre dentro da jornada de trabalho (almoço ou jantar, por exemplo). Quando a carga horária diária ultrapassar 6 horas, este descanso deverá ser de no mínimo uma hora; se a jornada for menor, o mínimo exigido em lei é de 15 minutos. 

Já o intervalo interjornada é entendido como o período entre um expediente e outro. Ele deve ser de, no mínimo, 11 horas.

5. Contribuição Previdenciária

Pagamento da contribuição da Previdência para o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), que garante benefícios como aposentadoria e auxílio-doença

6. Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS)

Este é um direito do trabalhador com registro, mas também pode ser oferecido ao trabalhador sem registro. Em situação de demissão é acrescido a multa de 40%.

7. Seguro Desemprego

Benefício concedido à pessoas que ficam desempregadas.

8. Férias

Este é o direito à descanso de 30 dias a cada ano de trabalho, podendo ser consecutivo ou não. O empregado é remunerado e há o acréscimo de um terço do salário. 

9. Vale Transporte

Este benefício permite ao empregador descontar até 6% do salário do empregado e complementar o valor necessário para locomoção até a empresa. 

Além destes, podemos citar também como direito do trabalhador sem registro ou com registro:

  • 13º Salário
  • Exame Admissional e Demissional
  • Insalubridade e Periculosidade
  • Salário Família
  • Indenização por acidente de trabalho ou adicional 
  • Aviso Prévio
  • Faltas Justificáveis
  • Data Base da categoria
  • Licença Maternidade

Quais os direitos do empregado sem registro?

O direito do trabalhador sem registro é o mesmo daqueles com carteira assinada. No entanto, é preciso que o colaborador comprove o reconhecimento de vínculo empregatício. 

Como não há um documento comprovativo, será necessário a abertura de uma ação trabalhista.

 

Acidente de Trabalho para empregado sem registro

Visto os dados alarmantes dos registro de acidentes de trabalho, há uma grande preocupação sobre a quantidade de empregados negligenciados quando acometidos por esta situação e que não tem ciência de seus direitos. 

Por isso é importante ressaltar que os empregados que não possuem registro tem direito à indenização por acidente de trabalho. Mas, como mencionado anteriormente, é necessário a comprovação do vínculo empregatício. 

Para tanto, a Advocacia Rodrigo Moura está preparada para auxiliá-lo e orientá-lo para que seus direitos sejam devidamente exercidos. 

Gostou deste conteúdo? Acesse o site da Advocacia Rodrigo Moura para saber mais sobre direito previdenciário e conversar com um advogado especializado.

Leia também: Saiba como funciona a investigação do acidente de trabalho

 

Sobre nós

Fundado em 2009, a Advocacia Rodrigo Moura construiu com sua dedicação uma ótima reputação no âmbito do direito, atendendo os clientes e ajudando em suas necessidades e oferecendo assessoria completa durante o período de processo.

Últimas Postagens

Siga nos

Fale conosco

DEIXE NOS TE AUXILIAR, PREENCHA O FORMULÁRIO ABAIXO E RECEBA AJUDA PROFISSIONAL

Precisa de auxílio profissional?

Conte com nossos profissionais.

Bem Vindo(a)! 

Continuamos atendendo com horário marcado.

Deixe seus dados e entraremos em contato: