Empregador não recolheu meu FGTS, o que fazer?

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Empregador não recolheu meu FGTS, o que fazer?

Se você está se desligando ou até mesmo já se desligou da empresa e descobriu que o empregador não efetuou os recolhimentos do FGTS, nos acompanhe neste conteúdo e descubra o que pode ser feito nesses casos. 

O FGTS é o Fundo de Garantia do Tempo de Serviço. Este fundo é alimentado pelo empregador que faz depósitos mensais e a finalidade do fundo é dar amparo ao trabalhador em caso de necessidade, por exemplo quando há demissão sem justa causa.

Existem outras situações nas quais o empregado pode sacar o FGTS, mas a principal delas, sem dúvida, é a demissão sem justa causa, situação na qual o empregado conta com aquele valor, muitas vezes, para custear as despesas no período em que está buscando uma nova fonte de renda.

Ocorre com muita frequência de o segurado descobrir o quanto tem depositado na sua conta do FGTS apenas quando ocorre a demissão e o empregado solicitar o extrato na Caixa Econômica Federal, ou quando pode sacar o valor, nos demais casos.

Nossa dica para evitar prejuízos é conferir de tempos em tempos como estão os depósitos para evitar que haja essa surpresa negativa e para buscar uma solução com antecedência.

Hoje, uma forma prática de conferir se os valores estão sendo depositados pelo empregador é através do aplicativo do FGTS criado pela Caixa Econômica Federal ele pode ser baixado através das lojas de aplicativo como play store e apple store disponibilizadas nos smartphones.

Mas se você já se deparou com a conta do FGTS vazia ou com períodos sem depósito vamos te dar 2 dicas.

Tente um acordo

Tudo que é resolvido através de um acordo é melhor, é menos desgastante. Portanto,  sugerimos que antes de tudo o empregado, portanto os extratos da conta do FGTS, entre em contato com o empregador e o questione sobre estes períodos no qual não houve depósito.

Lembre-se de que um acordo deve ser feito com calma e tranquilidade, de forma amigável. Mesmo que o empregado ou ex-empregado saiba que está no seu direito, a conversa deve ser sempre em tom amigável.

Verifique a possibilidade de o empregador fazer o pagamento de forma amigável.

Caso ele não se ofereça para regularizar a situação você poderá adotar a alternativa a seguir.

Busque o apoio de um Advogado

Caso não haja acordo, o empregado poderá buscar o apoio de um advogado para ingressar com um processo trabalhista exigindo que este pagamento seja feito.

O advogado buscará através dos meios legais formas de buscar este crédito com juros e correção monetária.

Gostou deste conteúdo? Acesse o site da Advocacia Rodrigo Moura para saber mais sobre direito previdenciário e conversar com um advogado especializado.

Sobre nós

Fundado em 2009, a Advocacia Rodrigo Moura construiu com sua dedicação uma ótima reputação no âmbito do direito, atendendo os clientes e ajudando em suas necessidades e oferecendo assessoria completa durante o período de processo.

Últimas Postagens

Siga nos

Fale conosco

DEIXE NOS TE AUXILIAR, PREENCHA O FORMULÁRIO ABAIXO E RECEBA AJUDA PROFISSIONAL

Precisa de auxílio profissional?

Conte com nossos profissionais.

Bem Vindo(a)! 

Continuamos atendendo com horário marcado.

Deixe seus dados e entraremos em contato: