Engenheiro Elétrico tem direito a Aposentadoria Especial?

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Engenheiro Elétrico tem direito a Aposentadoria Especial

A aposentadoria especial permite ao segurado se aposentar entes dos demais segurados. 

Hoje vamos falar sobre a Aposentadoria do Engenheiro Elétrico e quando ela pode ser considerada como Especial.

O que é a Aposentadoria Especial

Esta modalidade de aposentadoria foi criada com o intuito de proteger os trabalhadores que estão expostos a atividades insalubres e perigosas.

Essa proteção é necessária, pois estes agentes são nocivos podendo causar prejuízos à saúde ou até mesmo à vida.

Portanto, a Aposentadoria Especial vem para “liberar” o trabalhador mais cedo do que os demais para evitar a exposição prolongada deste trabalhador ao risco. Por essa razão a aposentadoria especial requer menos tempo de contribuição para aposentadoria.

Engenheiro elétrico tem direito a este benefício?

Sim, mas vale lembrar que alguns requisitos precisam ser preenchidos.

Se você já exercia a profissão de engenheiro elétrico até 28/04/1995, a sua atividade poderá ser considerada especial com facilidade.

Basta que o segurado comprove que contribuiu para o INSS neste período em decorrência do exercício profissional, ou seja, comprovando que a profissão exercida era de Engenheiro Elétrico.

Essa possibilidade existe, pois até essa data estava em vigor uma tabela de categorias profissionais criadas pelo anexo do Decreto 53.831/64.

Esta legislação foi criada para determinar quais profissões estavam expostas ao risco e uma delas era o Engenheiro Elétrico.

Ocorre que, com o passar dos anos, verificou-se que analisar a periculosidade e insalubridade apenas com base na profissão não era cum critério preciso, então a forma de comprovação mudou se tornando mais criteriosa.

Recapitulando: se você exerceu a atividade de Engenheiro elétrico até 28/04/1995, basta comprovar sua contribuição ao INSS como Engenheiro elétrico para que esse período seja considerado como especial.

Após essa data o critério ficou mais rigoroso e ao invés de analisar apenas a profissão o critério passou a ser pessoal. O segurado a partir dessa data precisa comprovar que efetivamente esteve exposto aos agentes nocivos para ter direito ao benefício.

Isso é feito através de documentos e laudos, como o PPP – Perfil Profissiográfico Profissional, preenchido através do LTCAT – Laudo Técnico das Condições do Ambiente de Trabalho.

Um ponto importante é que a partir de 28/04/1995, com a mudança do critério de avaliação das condições de trabalho especial, entende-se que a atividade do Engenheiro Elétrico somente é considerada especial quando a exposição à eletricidade possui média superior à 250 volts.

Muitos engenheiros perderam a qualificação de atividade especial após 28/04/1995, se este é o seu caso, lembramos que se você atuou antes desse período vale a pena buscar que ele seja considerado como especial, pois você poderá requerer a conversão em tempo comum que valerá 40% a mais para o homem e 20% a mais para a mulher, e isso trará grande vantagem na contagem de tempo para a aposentadoria comum.

Tudo o que tratamos hoje pode ser identificado através do cálculo previdenciário, é ele que vai te indicar quais as melhores opções para sua aposentadoria, faça o planejamento e garanta o melhor benefício.

Gostou deste conteúdo? Acesse o site da Advocacia Rodrigo Moura para saber mais sobre direito previdenciário e conversar com um advogado especializado.

Sobre nós

Fundado em 2009, a Advocacia Rodrigo Moura construiu com sua dedicação uma ótima reputação no âmbito do direito, atendendo os clientes e ajudando em suas necessidades e oferecendo assessoria completa durante o período de processo.

Últimas Postagens

Siga nos

Fale conosco

DEIXE NOS TE AUXILIAR, PREENCHA O FORMULÁRIO ABAIXO E RECEBA AJUDA PROFISSIONAL

Precisa de auxílio profissional?

Conte com nossos profissionais.

Bem Vindo(a)! 

Continuamos atendendo com horário marcado.

Deixe seus dados e entraremos em contato: