A regra do Pedágio é vantajosa para Aposentadoria?

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

Vamos mostrar como funciona a Regra do Pedágio para que você veja as vantagens e desvantagens de se aposentar por essa modalidade.

Vale lembrar que todas as regras do pedágio são de transição, ou seja, se aplicam apenas para quem já contribuía para a previdência social no dia 12/11/2019.

Regra do Pedágio de 50% 

Essa regra poderá ser aplicada apenas para os segurados que faltavam até de 2 anos para se aposentar no dia 12/11/2019.

Vejamos: 

  • Homem: 35 Anos de Contribuição + Pedágio de 50%;
  • Mulher: 30 Anos de Contribuição + Pedágio de 50%;

O Pedágio é o tempo que faltava para você se aposentar no dia 12/11/2019. 

Então, para saber o tempo que falta para se aposentar você soma o que faltava no dia 12/11/2019 + o tempo do pedágio.

Exemplo: Joana tinha 29 anos de contribuição no dia 12/11/2019 (antes da Reforma começar a valer).

Faltava apenas 1 ano para ela se aposentar, então ela pode se enquadrar na regra do pedágio de 50%.

Como falta 1 ano para aposentadoria, o pedágio de Joana são 6 meses.

Portanto, Joana pode se aposentar por tempo de contribuição após 1 ano e 6 meses.

O valor da aposentadoria aqui é 100% do salário de benefício + a aplicação do Fator Previdenciário.

Regra do Pedágio de 100% 

  • Homem: 35 Anos de Contribuição + 60 Anos de Idade + Pedágio de 100%;
  • Mulher: 30 Anos de Contribuição + 57 Anos de Idade + Pedágio de 100%;

O Pedágio para esta regra funciona da mesma forma que na regra anterior.

Esta regra não restringe os contribuintes que estão próximos de se aposentar, ou seja, todos que já contribuíam antes da Reforma podem usufruir dessa regra.

O valor da aposentadoria por essa regra é 100% do Salário de benefício sem a aplicação do fator beneficiário. Ou seja, uma aposentadoria com valor melhor se comparado à regra anterior.

O que fazer para não ser Prejudicado pelas regras da Reforma da Previdência

Diante de tantas novas regras, realmente ficou difícil identificar o que fica melhor para o seu perfil de contribuição.

Além disso, das regras que as pessoas geralmente tem conhecimento, existem ainda, muitas regras que podem ajudar na aposentadoria e o trabalhador não tem conhecimento.

Isso sem contar com aquelas pessoas que contribuem da forma errada e acabam pagando mais, ou trabalhando por mais tempo.

Para evitar tudo isso existe o Planejamento Previdenciário.

Através do planejamento o segurado conhecerá a melhor forma de contribuir, qual a melhor regra para se aposentar e poderá ficar despreocupado com a sua contribuição.

Esse é o meio mais fácil de garantir que a sua aposentadoria será feita da forma correta. 

Além disso, o Planejamento Previdenciário ajuda o segurado em muitas outras funções como: documentação, cálculo previdenciário; análise de direito adquirido, entre outros.

Gostou deste conteúdo? Acesse o site da Advocacia Rodrigo Moura para saber mais sobre direito previdenciário e conversar com um advogado especializado.

Sobre nós

Fundado em 2009, a Advocacia Rodrigo Moura construiu com sua dedicação uma ótima reputação no âmbito do direito, atendendo os clientes e ajudando em suas necessidades e oferecendo assessoria completa durante o período de processo.

Últimas Postagens

Siga nos

Fale conosco

DEIXE NOS TE AUXILIAR, PREENCHA O FORMULÁRIO ABAIXO E RECEBA AJUDA PROFISSIONAL

Precisa de auxílio profissional?

Conte com nossos profissionais.

Bem Vindo(a)! 

Continuamos atendendo com horário marcado.

Deixe seus dados e entraremos em contato: