INSS: Segurado que não comprovar boa-fé deve devolver o benefício

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
INSS: Segurado que não comprovar boa-fé deve devolver o benefício

É possível ter que devolver benefício recebido indevidamente ou recebido a maior?

A resposta é sim e hoje vamos falar sobre a decisão do STJ – Superior Tribunal de Justiça sobre este tema.

Tema – 979/STJ

O assunto de hoje tem o intuito de esclarecer o que foi determinado pelo tema 979 julgado pelo STJ que dispõe:

“Com relação aos pagamentos indevidos aos segurados, decorrentes de erro administrativo (material ou operacional) não embasado em interpretação errônea ou equivocada da lei pela administração, são repetíveis, sendo legítimo o desconto no percentual de até 30% do valor do benefício pago ao segurado/beneficiário, ressalvada a hipótese em que o segurado, diante do caso concreto, comprove sua boa-fé objetiva, sobretudo com demonstração de que não lhe era possível constatar o pagamento indevido.”

Mas, afinal de contas, o que este texto quer dizer?

O tema 979 trata das situações que o INSS concede um benefício, porém essa decisão é errônea, ou seja, houve erro por parte do INSS e ele não deveria ter concedido este benefício.

Nesses casos é fácil pensar: “quem cometeu o erro foi o INSS, não posso ser responsabilizado”. Infelizmente não é tão fácil assim. 

Pelo que determina a decisão do STJ o segurado precisa devolver este dinheiro em certas situações, vamos conferir quais são elas.

Quando Devolver o benefício pago indevidamente pelo INSS

Pela decisão do STJ ficou demonstrado que é possível exigir do segurado o reembolso do benefício pago indevidamente. 

Esse reembolso pode ser feito por meio de desconto no próprio benefício do segurado, no limite de 30% do valor do benefício.

Essa decisão pode gerar insegurança ao segurado, pois sempre existe a possibilidade dele não saber que o INSS errou. É aí que entra a exceção.

Os segurados que receberam benefício de boa-fé, ou seja, sem ter conhecimento de que o INSS havia errado no valor ou na decisão de conceder o benefício, não precisam devolver do dinheiro.

Portanto, caso o INSS notifique o segurado informando que houve erro no valor do benefício, busque o apoio de um advogado previdenciário para comprovar que houve boa fé, a fim de que não haja qualquer reembolso de valores por parte do INSS no valor do seu benefício.

Gostou deste conteúdo? Acesse o site da Advocacia Rodrigo Moura para saber mais sobre direito previdenciário e conversar com um advogado especializado.

Sobre nós

Fundado em 2009, a Advocacia Rodrigo Moura construiu com sua dedicação uma ótima reputação no âmbito do direito, atendendo os clientes e ajudando em suas necessidades e oferecendo assessoria completa durante o período de processo.

Últimas Postagens

Siga nos

Fale conosco

DEIXE NOS TE AUXILIAR, PREENCHA O FORMULÁRIO ABAIXO E RECEBA AJUDA PROFISSIONAL

Precisa de auxílio profissional?

Conte com nossos profissionais.

Bem Vindo(a)! 

Continuamos atendendo com horário marcado.

Deixe seus dados e entraremos em contato: